Visitar Budapeste: dicas, alojamento, roteiros, fotos

Visitar Budapeste: dicas, alojamento, roteiros, fotos

Visitar Budapeste – é vulgarmente conhecida como a “Paris de Leste”. Estou a falar obviamente de Budapeste, a capital da Hungria, localizada no norte do país, não muito longe da fronteira com a Eslováquia, banhada por um dos maiores rios da Europa: o Danúbio. Actualmente, possui mais de um milhão e setecentos mil habitantes, fazendo da cidade húngara a maior e mais populosa do país. É actualmente uma das cidades mais visitadas em todo o mundo.

visitar Budapeste Danubio

O Rio Danúbio é o elemento físico mais marcante na cidade – Visitar Budapeste

Resenha histórica de Budapeste

Embora já existissem vestígios de ocupação humana que remontam até à Idade do Bronze, é no período romano que a cidade de Budapeste começou a desenvolver-se  quando se fundou a cidade de Aquincum, 89 d.C.  perto de Óbuda (Velha Buda). Aquincum foi a capital da província da Pannonia inferior a partir de 106 d.C. até o final do século IV. Do lado oposto do Danúbio, foi crescendo uma povoação ao longo do tempo uma que se chamaria Peste.

Depois da breve invasão dos Hunos no séc. V, os Magyars estabeleceram-se na região no final do séc. IX e estabeleceram o reino da Hungria. Em 1241 este povo viria a erguer um castelo a sul de Óbuda e em frente a Peste, numa colina à margem do Danúbio, num local que viria a chamar-se Buda.

O crescimento urbano e económico de Buda, cidade real, e Peste, centro económico próspero,  chamou a atenção dos mongóis e dos otomanos que as invadiram em 1241 e 1541 respetivamente, estando nas mãos destes últimos por mais de 100 anos até ser reconquistada pelos Habsburgos em 1686.

Óbuda, Buda e Peste foram fundidas pela primeira vez em 1849 por decisão do governo revolucionário e novamente em 1873 após a decisão ter sido revogada, levando à criação da cidade de Budapeste, capital da Hungria. Em 1930 Budapeste atingiu um milhão de habitantes, no entanto a II Guerra Mundial deixou marcas profundas na capital húngara, primeiro porque foram dizimados cerca de 250 000 judeus e segundo porque ficou severamente danificada devidos aos confrontos bélicos entre os nazis e o exercito soviético que veio a conquistar cidade em Fevereiro de 1945. No pós guerra ficou sob o domínio comunista até à queda da União Soviética em 1989.

 

quando ir

Março/Abril são os meses da Páscoa, evento com grande tradição em Budapeste. Nesta época são muitos os viajam até à cidade para participar nos festivais da Primavera (gastronómicos, musica, etc). Julho, o mês mais quente do ano, sente-se um grande frenesim nas ruas onde se celebram inúmeros festivais de musica. Outubro, mês da Ocktober Fest (festa da cerveja) e comemoração da Revolução Húngara de 1956. Dezembro é o mês do Natal e em Budapeste é tradição a realização dos Mercados de Natal.

Visitar Budapeste - festival gastronómico

 

 

quantos dias para visitar

Uma cidade como Budapeste merece no mínimo 3 dias completos para visitar os principais pontos de interesse. Uma das suas riquezas é a diversidade de locais para visitar: igrejas, museus, termas, castelos, parques urbanos, avenidas históricas entre muitos outros. Para poder contemplar tudo isto numa viagem, aconselho os 3 dias, primeiro porque a cidade é grande e segundo porque não vale a pena andar a correr acabando por não desfrutar do ambiente de uma das capitais europeias mais carismáticas.

 

como chegar

Budapeste é servida pelo Aeroporto Internacional de Budapeste que se localiza a cerca de 16km do centro da cidade. Beneficiando de uma posição central na Europa também é muito fácil chegar por via ferroviária nomeadamente de cidades como Viena, Berlim, Bratislava, Praga, Varsóvia ou Zurique.

A principal ligação de transporte público do aeroporto para a cidade é através do autocarro 200E para a estação final do metro M3 (linha azul) ‘Kőbánya-Kispest’ (cerca de 25 minutos) e depois continuar no metro (cerca 20-30 minutos para o centro da cidade).

Também é possível utilizar o Shuttle do Aeroporto, mais caro, mas compensa em termos de tempo e se for partilhado fica mais barato, podendo o bilhete andar à volta de  6 – 8 euros.

vistos

Para entrar na Hungria e visitar Budapeste não é preciso visto (para estadias inferiores a 3 meses) e o cartão de cidadão é suficiente. Como o país está inserido no espaço Schengen não terá controlo de fronteirasOs cidadãos brasileiros precisam de apresentar passaporte válido por um mínimo de 3 meses, mas não necessitam de visto de turismo para estadias inferiores a 90 dias.

segurança

Budapeste é uma cidade bastante segura e é conhecida por ser um destino family friendly. Os níveis de criminalidade são relativamente baixos e mesmo à noite o ambiente é seguro. Não obstante, usar sempre o senso comum (olho nas bagagens, principalmente nas estações de comboio e autocarro e carteiristas nas ruas mais movimentadas). Ter atenção aos convites feitos por mulheres nas ruas mais turísticas para entrar em bares, pode ficar muito desiludido com a conta que lhe vão apresentar.

visitar Budapeste criançasSão muitos os locais em Budapeste para as crianças se divertirem – Visitar Budapeste

 

alojamento

Sendo Budapeste uma das cidades mais visitadas da Europa, o mercado da hotelaria correspondeu de imediato às necessidades disponibilizando ao viajante mais de 1000 ofertas de alojamento, sendo a maioria caracterizada por apartamentos, hoteis e hostels. Uma boa parte dos edifícios no centro histórico da capital foram convertidos para fins turísticos. Na minha estadia por Budapeste acabei por optar pela plataforma Airbnb. Inscreva-se na plataforma e receba créditos para descontar quando ficar alojado. Fiquei hospedado num apartamento super espaçoso, com um anfitrião muito prestável. A estadia ficou por 18 euros/noite.

visitar Budapeste alojamentoFotografia do quarto alugado – Visitar Budapeste

 

dinheiro

A moeda oficial da Hungria é o florim (forint HUF) 1 florim vale aproximadamente 0.003 eurosNo centro de Budapeste existe uma grande oferta de casas de cambio para trocar a moeda. Os cartões de crédito como VISA e Mastercard são aceites e as máquinas multibanco também são fáceis de encontrar. 

Onde comer

Existem muitos restaurantes no centro histórico da cidade, mas obviamente os preços são um pouco mais caros. Para almoçar barato e comer com serviço buffet, recomendo um restaurante chamado Octogon bisztró localizado na Teréz krt. 23 a cerca de 150m da estação de metro Octogon. Comida tradicional húngara (e internacional) a preço bastante acessível (4 a 6 euros).

Alguns locais a visitar em Budapeste
  • Castelo de Buda (Királyi palota)
  • Citadela
  • Praça dos Heróis (Hősök tere)
  • Avenida Andrássy
  • Parlamento (Országház)
  • Ópera 
  • Mercado central
  • Parque da Cidade
  • St. Stephen (István) Cathedral (Basilica)
  • Great Synagogue
  • Chain Bridge (Széchenyi lánchíd
  • Liberty Bridge (Szabadság híd)
  • Fisherman’s Bastion Halászbástya
  • Sapatos na margem do Danubio

visitar Budapeste

A Praça dos Heróis é das principais atrações  – Visitar Budapeste

transportes

O sistema de transporte público de Budapeste geralmente é intuitivo e fácil de utilizar. Os turistas podem viajar na maioria das áreas centrais por metro, mas por exemplo no lado de Buda, terão que usar autocarros ou trams. Eu praticamente não usei transporte publico dentro da cidade, porque devido ao declive muito suave é muito fácil andar a pé. Saiba mais no site oficial dos transportes públicos de Budapeste.

custo de vida

O custo de vida de produtos e serviços em Budapeste não difere muito dos preços praticados em Portugal, aqui ficam alguns exemplos:

  • bilhete de autocarro (1 viagem 1,12 euros)
  • almoço em restaurante médio (10 a 15 euros por pessoa)
  • refeição no Macdonald´s (4,8 euros por pessoa)
  • capuccino (1,2 euros)
  • garrafa de água – café, 1,5 litros (0,5 euros)
  • garrafa de água – supermercado (0,35 euros)
  • garrafa de cerveja – café  (1,2 euros)
  • garrafa de cerveja – supermercado (0,7 euros)

 

acesso à internet

O acesso à Internet em Budapeste é bom. Nos hotéis, restaurantes e cafés o WiFi é na maior parte dos casos de acesso gratuito.

língua

A língua oficial em Budapeste é o húngaro, mas a grande parte dos locais que tem contacto com os turistas fala o inglês.

 

 – ORGANIZAR A SUA VIAGEM

ALOJAMENTO EM BUDAPESTE



Booking.com

 

ALUGAR CARRO

Reserve aqui o seu automóvel 

 

SEGURO DE VIAGEM

Faça aqui o seu seguro de viagem

 

Precisa de ajuda para elaborar um roteiro? Entre em contacto comigo por email

Mapa de Budapeste

Facebook Comments

Pedro Henriques

Blogger de Viagens

9 opinions on “Visitar Budapeste: dicas, alojamento, roteiros, fotos”

  1. Ahhh, Budapeste! Adoro essa cidade e os mercadinhos de Natal! Mas nunca fui na Páscoa e você me deixou curiosa… Talvez seja o destino para essa época do ano que vem! Muito bom guia! 🙂

  2. Conhecer Budapeste está totalmente nos meus sonhos! Espero que seja breve! Então 3 dias completos é suficiente para conhecer a cidade com calma? ! Dica anotada!

  3. Adorei as dicas. Quero muito conhecer Budapeste e visitar os dois lados do rio. A cidade parece muito linda. Otimas fotos.

  4. Cheguei de ônibus – Student Agency – a noite e fiquei um pouco com medo. O lugar estava deserto, a estação de metro com vàrios moradores de rua dormindo ali, mas foi tudo muito tranquilo. Também senti segurança!
    Dos locais que vc citou, fiquei triste em não ter visto a Praça dos Heróis!!!! Fiquei 3 dias cheios, mas estávamos com nosso bebê no inverno!!!!

  5. Ainda não me perdi para esses lados e gostei das suas dicas que, espero, um dia me sejam úteis (esse airbnb foi bem económico). Em que época do ano esteve lá? Abraço

Deixar uma resposta