Saúde do viajante

Saúde do viajante

Sempre que pretendas viajar para fora da Europa deves dirigir-te a uma consulta de saúde do viajante.

Se viajas com a família, designadamente com crianças e idosos, tem em atenção os cuidados especiais de que necessitam.

As consultas de saúde do viajante são efectuadas por médicos especialistas em doenças infecciosas e em medicina tropical (componente viagens).

Vantagens  das consultas de saúde do viajante?

  • Aconselhamento sobre as medidas preventivas a adoptar antes, durante e depois da viagem. Estas medidas podem incluir a vacinação, medicação preventiva da malária, cuidados sobre higiene pessoal, cautelas a ter com a água e os alimentos, entre outros aspectos para que devemos ter em atenção quando viajamos. Também podem ser fornecidas informações sobre a assistência médica e segurança no país de destino e aconselhamento sobre a farmácia que o viajante deve levar consigo;
  • Avaliação das condições de saúde do viajante antes da viagem, com especial atenção sobre mulheres grávidas, crianças, idosos, indivíduos com doenças crónicas sob medicação, entre outros;
  • Prestação de assistência médica após o regresso, diagnostico de problemas de saúde possivelmente contraídos durante a viagem, e para controlo periódico de indivíduos que passam temporadas prolongadas em países ou regiões onde o risco de contrair doenças é elevado.
  • Para administrar vacinas (incluindo a da febre amarela, obrigatória em alguns países), e passar o respectivo certificado internacional.

Quais são as vacinas obrigatórias?

O Regulamento Sanitário Internacional em vigor estipula que a única vacina que poderá ser exigida aos viajantes na travessia das fronteiras é a vacina contra a febre amarela. Nesse sentido, todos os Centros de Vacinação Internacional devem administrar a vacina contra a febre amarela a todos os utentes que a eles se dirijam, desde que portadores de prescrição médica.

No entanto, alguns países não autorizam a entrada no seu território sem o comprovativo de vacinação contra outras doenças. É o que acontece com a vacina contra a doença meningocócica, imposta pela Arábia Saudita aos peregrinos que se dirigem a Meca. A Arábia Saudita exige ainda, como outros países, a vacina contra a poliomielite, a quem é proveniente de um dos quatro países onde o vírus é endémico (Afeganistão, Nigéria, Paquistão e Índia).

Que outras vacinas são aconselhadas?

Depende para onde pretendes viajar. É precisamente para te aconselhar e informar que existem as consultas de saúde do viajante. As vacinas mais indicadas, em função do destino, são as que protegem contra as seguintes doenças: cólera, difteria, encefalite japonesa, hepatite A, hepatite B, gripe, raiva, tétano e febre tifóide.

Onde são as consultas de saúde do viajante e os centros de vacinação internacional?

Há consultas e centros de vacinação internacional espalhados por todo o país. Acede a essa informação no portal do Ministério da Saúde.

Vou dar um exemplo: antes da minha viagem para a Tailândia, fui à consulta do viajante (taxa de 5 euros) em Braga e o médico deixou-me as seguintes recomendações:

– vacina contra a febre tifóide (tomei no local- 20 euros)

– vacina da Hepatite A (cerca de 10 euros e posteriormente fui vacinado no Centro de Saúde)

– comprimidos para a malária (cerca de 80 euros por 2 caixas de 12 comprimidos)

– comprimidos para a diarreia do viajante (cerca de 10 euros, mas que não foram precisos)

Durante a viagem:

– evitar gelo nas bebidas

– não ingerir carne mal cozinhada

– ingerir líquidos a partir de garrafas sempre seladas;

– nunca lavar os dentes com água da torneira, mas sim com água de garrafa selada;

– usar roupa larga e de cor clara;

– intensificar o uso de repelentes de insectos

– evitar contacto directo com animais domésticos (tive conhecimento de um ataque de um cão com a raiva a um turista espanhol em Bangkok).

Facebook Comments

Deixar uma resposta